Intercâmbio de agricultores é vital para fortalecimento coletivo

Publicado em 9 de fevereiro de 2017

Em continuidade a matéria anterior sobre a visita a Cooperafloresta  e o destino da produção, os agricultores souberam  que produtos como farinhas de inhame, mandioca, gengibre, batata doce, banana, açúcar mascavo, melado, banana chips, banana passa, polpa e geleias de Juçara fazem parte de alguns dos produtos que são semanalmente processados na agroindústria, dos quais alguns funcionários são também produtores.
 
A equipe técnica da cooperativa acompanha a campo os manejos e implantações de novas áreas, assim como as recomendações de manejo. A Cooperafloresta faz parte da Rede Ecovida, que engloba os estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e sul de São Paulo (Vale do Ribeira) e possuem um Sistema Participativo de Garantia
 
O Sistema Participativo de Garantia, SPG, é formado pela reunião de produtores e outras pessoas interessadas em organizar a sua estrutura básica, que é composta pelos membros do sistema e pelo Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade, OPAC. Os membros do sistema são pessoas físicas ou jurídicas que fazem parte de um grupo classificado em categorias, distribuidores, comercializadores, transportadores e armazenadores. Os colaboradores são os consumidores e suas organizações, os técnicos, as organizações públicas e privadas, as que representam as mais diferentes classes e os parceiros colaboradores que possam ajudá-los a dar garantia a seus produtos. Todos tomam conta de todos e se visitam, para garantir a qualidade orgânica.
 
No último e terceiro dia, cada produtor fez seu próprio relato, com suas percepções, no geral, todos saíram extremamente satisfeitos com todo aprendizado e sensações, com a certeza que os sistemas agroflorestais possuem um importante papel no que se diz respeito a conservação com produção, qualidade de vida, segurança e soberania alimentar das comunidades e dos povos.
 
Fica também como registro, a capacidade incrível da benfeitoria que o uso de intercâmbio nos trazem, como maneira mais adequada de multiplicação, mobilização e capacitação para todo um grupo de produtores e produtoras, conseguindo aumentar a autoestima e retornando ao seu local de origem com muito mais vontade de realizar e fazer as coisas acontecerem de forma coletiva, transparente e organizada.
 
Para conhecer mais sobre o Projeto, acesse PDRS
 
O PDRS, Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável- Microbacias II – Acesso ao Mercado, é realizado pela Akarui por meio de convênio firmado com Secretaria Estadual do Meio Ambiente - SP desenvolvido nos municípios de São Luiz do Paraitinga e Natividade da Serra situados na Serra do Mar, Vale do Paraíba  -SP.
 
Texto e fotos Ismael Soares