IPEMA realiza seminário sobre relação da juçara e comunidades tradicionais

Publicado em 2 de abril de 2014

No dia 27 de março, aconteceu em Ubatuba, o Seminário Agroecologia para o Fortalecimento dos Territórios de Povos e Comunidades Tradicionais, reunindo mais de 80 participantes das comunidades tradicionais e instituições que atuam na região. Organizado pelo Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica, o encontro proporcionou uma mesa de diálogo que abordou as contribuições da agroecologia para o fortalecimento dos territórios tradicionais e vice versa.
 
Na parte da manhã, foram feitos relatos de técnicos, que trataram da pesquisa da população da palmeira juçara em áreas de conservação e foras destas áreas; da lei que regulamenta a definição de comunidades tradicionais; das leis de acesso ao mercado de produtos da agricultura familiar e sobre o Fórum Nacional das Comunidades Tradicionais.
 
Durante o horário do almoço houve uma Feira de Trocas de Sementes e Mudas, que também gerou uma grande troca de conhecimento e informação entre os presentes, que na parte da tarde se dividiram em seis rodas de conversa, sendo Manejo da juçara e produção diversificada; Turismo de base comunitária; Plantas medicinais; Produção Local, Segurança e soberania alimentar; Artesanato e manejo dos produtos não madeireiros; Educação Diferenciada.
 
Esta troca de conhecimentos se transformou em uma proposta para um documento que embase a discussão mais ampliada entre os membros das comunidades.  Independente da localização das comunidades, algumas necessidades são iguais, seja no litoral ou no alto da serra, pois a organização comunitária e demanda das atividades ligadas à produção são basicamente as mesmas.
 
Dentro dos projetos da Akarui, este resgate das atividades das comunidades rurais, bem como a organização das mesmas para melhoria da produção e acesso ao mercado, são fatores primordiais, pois sem este pertencimento aos processos de recuperação, as atividades não se tornam sustentáveis. 
 
Para conhecer mais sobre as atividades no litoral, acesse IPEMA. E para conhecer mais sobre os projetos desenvolvidos na Serra, acesse Akarui.
 
Texto Ângela César e Ana Fiorim / Foto Ana Fiorim