Manejo, poda, biomassa, compostagem, adubos verdes e suas relações com a Agroecologia no PDRS

Publicado em 14 de fevereiro de 2017

Durante os mais de dois anos do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável, a Akarui coordenou e seguiu com base na Agroecologia, os fundamentos que foram transferidos ás produtoras e produtores beneficiados. Estas práticas que envolvem uma gama de conhecimentos culturais e técnicos, podem ser resumidos em alguns tópicos.
 
MANEJO ECOLÓGICO DO SOLO consiste num conjunto de operações realizadas com o objetivo de dar condições ótimas à semeadura, ao desenvolvimento e à boa produção das plantas, cultivadas por tempo ilimitado, deixando o solo vivo. Para isto, é necessário o uso de diversas práticas: alternância de capinas, drenagem, rotação de culturas, entre outras. 
 
PODAS DE FRUTÍFERAS são divididas em três tipos. A poda de formação serve para orientar o crescimento da planta, fazendo com que os ramos sejam bem distribuídos e que facilitem a colheita. Realizada no início do plantio e meses secos.  Poda de frutificação: mais utilizada nas frutíferas de clima temperado (pêssego, videira, figo,etc). Serve para eliminar ramos antigos, que deram frutos no ano anterior, permitindo que os ramos novos sejam os produtivos. Realizada no inverno ou pós produção. Poda de limpeza: Este tipo de poda serve para todas as frutíferas e deve ser feita durante toda a vida destas. O objetivo é revigorar a árvore antes de cada produção, dando maior vigor à planta. Realizada nos meses secos.
 
COMPOSTAGEM é o processo biológico em que microorganismos transformam matéria orgânica, como estercos, restos de culturas, restos de comidas e matéria orgânica num composto rico em nutrientes, após sua fermentação. Pode ser utilizada em hortas, lavouras, pomares e jardins, além de um excelente adubo, melhora o acúmulo de umidade no solo, diminuição de ataque de doenças e insetos praga nas plantas.
 
ADUBAÇÃO VERDE é uma forma rápida e eficiente de melhorar as propriedades físicas, químicas e biológicas dos solos através da produção de matéria orgânica, sendo umas das principais práticas utilizadas para a transição em sistemas agroecológicos de produção. Adubação verde de verão: meses de setembro a janeiro (crotalária, guandú, mucunas, lab lab, feijão de porco, etc). Adubação verde de inverno: meses de março a junho; (Aveias, tremoço, azevém, ervilhaca, alfafa). Estes parâmetros variam de acordo com cada região.
 
Estes e outros assuntos, forma parte do PDRS, Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável- Microbacias II – Acesso ao Mercado, é realizado pela Akarui por meio de convênio firmado com Secretaria Estadual do Meio Ambiente - SP desenvolvido nos municípios de São Luiz do Paraitinga e Natividade da Serra situados na Serra do Mar, Vale do Paraíba -SP
 
Para conhecer mais sobre o Projeto, acesse PDRS.
 
Texto Ismael Soares / Foto Lucas Peranovichi