O Uso Sustentável da Palmeira Juçara como Estratégia para Conservação da Mata Atlântica – Rede Juçara

Publicado em 20 de dezembro de 2011

Objetivo
Desenvolvimento das cadeias produtivas da polpa dos frutos e das sementes da Palmeira Juçara (Euterpe edulis) , aliadas à conservação da espécie, tendo como principais protagonistas agricultores familiares e comunidades tradicionais na Mata Atlântica.
 
Localidade
Estados do RS, SC, PR, SP, RJ, MG e ES.
 
Metas
Este projeto visa ao intercâmbio de conhecimentos e experiências que subsidiem a construção de programas e políticas públicas para o desenvolvimento da cadeia produtiva da polpa de juçara e conservação da espécie e tem sua execução baseada em 3 metas principais: 1) o levantamento e estudo das legislações ambientais e sanitárias; 2) o diagnóstico e monitoramento dos sistemas e práticas de manejo para fruto; 3) a construção da identidade do produto polpa a partir do protagonismo social.
 
Resumo
A Rede Juçara, assim denominada, é resultado do esforço de articulação entre diversas instituições (associações, ONGs, instituições governamentais e de pesquisa), que se atentaram para a importância estratégica da palmeira juçara (Euterpe edulis), sob um enfoque de desenvolvimento socioambiental e que se encontra em um processo de consolidação e o fortalecimento das relações entre seus elos. Pode-se dizer que os primeiros passos para a estruturação desta rede iniciaram-se concomitantemente nas regiões sul e sudeste por iniciativas das instituições locais, ainda que isoladas, mas com conhecimento recíproco das articulações e projetos entre as mesmas em regiões e estados distintos. O histórico das ações, dentre a maioria das instituições que atuam nesta área, em geral, não tem mais que 8 anos. 
Nesta mesma perspectiva, destacam-se também as articulações em diferentes graus, em contextos regionais e locais implementadas pelos parceiros da rede para o diálogo e busca de soluções práticas com gestores públicos nos seus municípios e estados. Ações estas que como um todo, são o ponto de partida para as ações da rede no sentido de promover políticas públicas que viabilizam o manejo e comercialização de produtos derivados da palmeira, sobre tudo a polpa dos frutos.
 
Público–alvo
Comunidades tradicionais, agricultores familiares e produtores rurais da Mata Atlântica.
 
Parceiros
Ação Nascente Maquiné – ANAMA
Associação de Desenvolvimento Comunitário do Bairro do Rio Preto
Associação de Economia Solidária e Desenvolvimento Sustentável Guapiruvu – AGUA
Associação de Moradores do Quilombo do Campinho – AMOQC
Associação dos Colonos Ecologistas do Vale do Mampituba – ACEVAM
Associação Papa-Mel de Apicultores de Rolante
Akarui  - Associação para Cultura Meio Ambiente e Cidadania 
Centro de Motivação Ecológica e Alternativas Rurais – CEMEAR
Centro Ecológico – CE
Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo - ESALQ/USP
Fundação para a Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo - Fundação Florestal
Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica – IPEMA
Instituto Socioambiental – ISA
 
Financiadores
KfW Entwicklungsbank
Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH
PDA – Ministério do Meio Ambiente
Governo Federal
Saiba mais: