Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável tem início em 15 Unidades de Estudo

Publicado em 20 de outubro de 2014

Com a proposta de implantação de Saf's (Sistemas Agroflorestais) e Sistemas Silvipastoris (proteção florestal e pastagem) a Akarui e parceiros, pretendem iniciar um longo trabalho de mudança da paisagem rural. Com 15 unidades de estudo (UE , sendo 8 com sistemas silvipastoris e 7 com Staffs, distribuídos em 13 propriedades rurais localizadas em São Luiz do Paraitinga, na Bacia do Rio do Chapéu e bairro do Mato Dentro, e Natividade da Serra, no bairro da Vargem Grande, agricultores encontram nas parcerias uma possibilidade de produzir mais e melhor.
 
Entre outros objetivos, o PDRS visa contribuir para o aumento da renda de agricultores familiares e pequenos produtores rurais com a comercialização de seus produtos e o acesso ao mercado consumidor incentivando a produção e o manejo agroecológico, a diversificação da produção, o respeito ao meio ambiente e a vocação da propriedade. 
Não se pretende criar novas atividades para os proprietários, mas sim apoiar e adequar com técnicas e troca de conhecimentos, o que já está sendo feito pelos agricultores. A longo prazo, pretende-se propiciar aos agricultores envolvidos, a obtenção da certificação agroecológica de seus produtos a fim de buscar um produto com diferencial para atender ao mercado consumidor.
 
O PDRS também visa o fortalecimento da organização e grupos de beneficiários por meio da formação de 30 produtores e atores locais, bem como formação de um Grupo Gestor do projeto que irá acompanhar a execução e a continuidade de ações no território. Assim , a implantação de UEs destes sistemas contempla a implantação, enriquecimento, manejo e monitoramento sistemático dos sistemas e seus resultados por meio da geração de relatórios.  Juntamente com outros documentos gerados, o Grupo Gestor entregará aos Gestores Públicos dos municípios de São Luiz do Paraitinga e Natividade da Serra ao final do Projeto, propostas ratificadas para se tornarem políticas públicas que possam ser replicadas em vários municípios.
 
Com prazo de 12 meses para sua aplicação, o PDRS terá um período de monitoramento e acompanhamento pelos órgãos de Assistência Técnica Governamental (CATI) e Prefeituras.  Seu gerenciamento está a cargo do Grupo Gestor, formado pela Akarui, CATI, Assessorias Municipais de São Luiz e Natividade da Serra, Associação Corredores Ecológicos do Vale do Paraíba, Secretaria do Meio Ambiente, Fundação Florestal, Instituto Florestal e beneficiários.
 
Esta atividade faz parte dos Subprojetos Ambientais, no âmbito do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável - Microbacias II - Acesso ao Mercado, da SMA, financiado pelo Banco Mundial.
 
Como parte da capacitação, produtores envolvidos em outros projetos da Akarui, como o Semeando Sustentabilidade – Recuperação Florestal e Programa de Desenvolvimento Rural Territorial, estarão presentes nas oficinas técnicas como atividades complementares das já previstas em tais Projetos.