Chamada apoia projetos ligados à agroecologia e produção orgânica

Publicado em 12 de novembro de 2012

Ministérios disponibilizam montante de R$ 8,9 milhões para financiamento de projetos voltados ao setor. Prazo para o envio das proposições termina em 19 de novembro.

Propostas para apoio financeiro a projetos relacionados a atividades de extensão tecnológica, pesquisa científica e educação profissional, visando a implantação ou manutenção de Centros Vocacioais Tecnológicos (CVTs) em agroecologia e produção orgânica, ou de núcleos de estudo em agroecologia e produção orgânica (NEAs).

Esse é o objetivo da chamada pública conjunta (nº46/2012) lançada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), via Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC) e pelo Ministério da Educação (MEC). Do total do financiamento, de R$ 8,9 milhões, o MCTI responde por R$ 5,4 milhões; o Mapa participa com R$ 2 milhões; e o MEC disponibiliza R$ 1,5 milhão. Em 19 de novembro expira o prazo para envio das propostas ao site da plataforma Carlos Chagas.

A iniciativa visa transformar, no curto prazo, tanto CVTs quanto NEAs em referências no que se refere ao desenvolvimento rural sustentável dos conhecimentos e práticas da produção orgânica e de base agroecológica. Para alcançar essa meta, serão implantados programas de extensão tecnológica e pesquisa científica nas universidades e de educação profissional para o segmento de agricultura familiar.

Caberá aos CVTs representar os estados ou o Distrito Federal na coordenação da rede de NEAs que, por sua vez, atuará junto aos estudantes na fase de extensão tecnológica. Outra modalidade de CVT contemplada neste edital é voltada aos biomas brasileiros.

Biodiversidade - "A decisão de consolidar CVTs por bioma decorre do respeito às vocações locais, já que elementos como clima, tipo de vegetação e produção são específicos em cada região do país", explica a assessora da secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis/MCTI), Sônia da Costa. "A estrutura irá usufruir da própria biodiversidade para autorregulação da produtividade", informa o analista de Ciência e Tecnologia Osório Coelho, da Secis.

"O manejo na produção agrícola sustentável deve estar harmonizado com as possíveis reservas naturais de cada localidade. A manutenção dos recursos hídricos também é uma preocupação que deve ser considerada durante a utilização das técnicas de plantio", pontua Sônia.

Estão previstos, ainda, a constituição de um comitê gestor interministerial para desenvolver prioritariamente metodologias de disseminação dos princípios adotados e o estímulo para o arranjo institucional de parcerias com as redes de pesquisa de biodiversidade, que ofereçam sustentação aos CVTs e NEAS por meio do intercâmbio de conhecimento.

Mais informações no link: http://www.cnpq.br/web/guest/chamadas-publicas.