Meio Ambiente

Adriana Yazbek dá dicas para um Natal sustentável

Quer celebrar o Natal sem prejudicar o meio ambiente? Utilizar uma planta que você já tem em casa na hora de montar sua árvore, produzir enfeites com materiais reciclados e escolher pratos preparados com ingredientes orgânicos para a ceia são algumas das dicas que a designer Adriana Yazbek, especialista em sustentabilidade, oferece aos internautas, em vídeo produzido pelo Portal Casa, da Editora Abril.

SESC Interlagos organiza roda de conversa com Marcos Sorrentino

A equipe do Sesc Interlagos gostaria de convidá-los s a participar da roda de conversa aberta ao público com o educador Marcos Sorrentino, no dia 08 de novembro, às 14h, no Viveiro de Plantas do Sesc Interlagos (Av. Manoel Alves Soares, nº 1.100). Neste encontro, Sorrentino irá compartilhar suas experiências na área da educação ambiental e as relações desta área com as políticas públicas e a educação na zona sul de São Paulo. 
 

Silenciosamente, bilhões de abelhas estão sendo dizimadas, pondo em risco nossa produção de alimentos

Abelhas não apenas fazem mel – elas são uma força de trabalho imensa, polinizando 75% das plantas que cultivamos. Devido a esta importância, os EUA podem dar um passo em direção à proibição dos pesticidas tóxicos responsáveis pela mortandade das abelhas.
 

Caçapava sedia 1º Encontro de Educadores em defesa do Rio Paraíba

Caçapava foi sede da 108ª reunião mensal da Câmara Técnica do Comitê das Bacias Hidrográficas do rio Paraíba do Sul, que aconteceu sexta-feira, 25, no Parque Ecológico da Moçota. A câmara técnica é coordenada por Duva Brunelli, de São José dos Campos, responsável pelo gerenciamento ambiental da Sherwin Williams de toda América Latina.

Cinco países definem metodologia para inventário na Bacia do Prata

Mais de 20 milhões de pessoas vivem nas áreas que integram as Zonas Úmidas da Bacia do Prata, região que abrange Brasil, Bolívia, Argentina, Paraguai e Uruguai, além de abrigar áreas reconhecidas internacionalmente como Sítios Ramsar, Sítios do Patrimônio Mundial ou Reservas da Biosfera.

A ideia de desenvolvimento nega a identidade dos povos, diz Mia Couto na bienal do livro de Brasilia

A utopia do desenvolvimento sustentável foi o tema do debate que reuniu cientistas, escritores e até presidente da República na 2ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, hoje (16), em Brasília. O escritor moçambicano Mia Couto criticou a ideia de que a natureza pode ser “controlada, administrada”. Para ele, é preciso localizar as razões pelas quais o mundo enfrenta, hoje, uma crise ambiental profunda: “Esse sistema não está mal porque não anda bem.

Fossa de evapotranspiração

Você já deve ter ouvido falar que, somos o que comemos. Outros dizem que somos o que lemos, e nestes tempos de era digital, que somos o que vemos. E porque não dizer, somos o que bebemos! Afinal, 65% da massa do corpo humano é composta de água, sangue e outros líquidos. E, para manter este nível sempre bem regulado, também já é de conhecimento de todos que devemos ingerir cerca de dois litros de água por dia. E água de boa qualidade.
 

Copa do Mundo das áreas protegidas: Croácia

Na Copa das áreas protegidas a Croácia faz jogo duro com o Brasil. Da Iugoslávia, terceiro lugar na Copa de 1930 e medalhista de ouro nas Olimpíadas de 1960, este país dos Balcãs herdou um dos mais bem organizados complexos de parques em toda a Europa. Hoje são ao todo 444 áreas protegidas, com 10% do território croata protegido por algum dos oito Parques Nacionais do país.
 

Crescer e Preservar. Isso é da nossa natureza.

A Semana de Meio Ambiente de 2014 de São José dos Campos é um convite para posturas mais ativas e comprometidas com a natureza, a cidade e a si mesmo. Para a preservação e conservação do meio ambiente e de nossa qualidade de vida é fundamental o envolvimento do cidadão. Nossas atitudes, somadas ao esforço do poder público devem buscar o equilíbrio ambiental e o compromisso com esta e as futuras gerações.
 

O Futuro do Presente das Águas do Paraíba do Sul

Muito se tem falado sobre o destino das águas do Paraíba: se elas irão abastecer a capital paulista, se continuarão indo para o Rio de Janeiro, se serão suficientes para suprir as necessidades de crescimento da própria região de origem. Mas o que está sendo planejado e feito para garantir que o retrato de hoje do sistema Cantareira não seja o futuro do rio Paraíba do Sul? O que pode ser feito para evitar isto, como, quando, por que e por quem?