Pensando no futuro através do planejamento familiar

Publicado em 4 de setembro de 2010

Temas

No mês de maio, comemoramos o dia das mães, data para refletirmos sobre uma pessoa única em nossas vidas. Da mesma forma, um momento especial e determinante para a mulher que gera uma nova vida e inicia um ciclo de mudanças físicas e comportamentais.

Uma bela teoria que se aliada à prática de um planejamento familiar seria um bom começo para se tentar evitar futuras catátrofes geradas pelo alto índice do crescimento demográfico mundial.

Crianças concebidas involuntariamente por casais que não têm condições financeiras para criá-las, por exemplo, empobrecem ainda mais a família e o país que se vê obrigado a investir cada vez mais em escolas, hospitais, medicamentos e habitações, entre outros.

No Brasil, políticas de planejamento familiar são inexistentes. Em 1970, éramos 90 milhões. Hoje, temos o dobroda população. Parte expressiva que se aglomera em favelas e nas periferias das grandes cidades. Assim, levando em consideração todos estes aspectos o Dr. Jayme Fontoura Sousa, médico clínico responsável da Santa Casa e integrante do Programa Saúde da Família (PSF), juntamente com as três equipes que atuam nos bairros do município de São Luiz do Paraitinga, iniciou a formulação de um projeto de apoio aqueles que desejam planejar a constituição de uma família. No momento, as equipes oferecem apoio ao acompanhamento de gestantes às famílias que planejam ter filhos e também à gravidez indesejável. Entenda-se indesejável, como a não planejada: a de risco, quando mãe e filho podem sofrer durante os meses de gestação ou a de poder econômico, entre famílias carentes.

O projeto tem uma idéia abrangente, com atendimento pessoal pelas equipes que orientam e educam sobre possíveis métodos contraceptivos como preservativos, DIU, vasectomia, laqueadura e métodos hormonais como pílulas e injeções que em muitas vezes, são "o grande tabu a ser quebrado".

Para o Dr. Jayme, "as pessoas precisam de mais informações a respeito do tema, envolvendo a assistência médica disponível, com a participação das assistentes sociais e das escolas, já que um terço das futuras mães do nosso município, são adolescentes."

O projeto está levantando informações para diagnosticar qual a situação das famílias em crescimento, através da atualização de dados dos munícipes cadastrados no PSF. E ainda, busca por parcerias que possam de alguma forma participar ou apoiar o projeto.

Informações PSF (12)3671-2112/6135.